Gostou?

Share |

Eu quero que o politicamente correto se exploda, grata.



O título já diz tudo.

Cansei desse falso moralismo, sabe? Esse conjunto de regras pré-estabelecidas, frases feitas com efeito moral, opiniões baseadas no que disse o Jornal Nacional ou Luiz Carlos Prates (aliás, esse cara merece um post bem safado).

Cansei disso tudo, viu?

Sou uma amante do humor negro. Durante o caso Isabela, por exemplo, me lembro que alguém disse que a ela só tinha caído da janela porque não tinha tomado Red Bull. GENIAL!

Aí me aparece um mané falando que eu não me importo com a dor dos outros. Sabe o que é pior? Eu não me importo mesmo! Eu mal dou conta da dor que eu sinto. E, talvez, eu seja uma das poucas pessoas que pode brincar com esse caso, pois quando eu era criança fui ameaçada a ser jogada pela janela pela minha babá. Rá.

Um dia desses twittei que a escravidão deveria voltar, porque assim poderia açoitar uma pessoa sem ser presa. Achou de mau gosto? Azar o seu. Agora, me mandar DM me chamando de racista não né?

O problema das pessoas politicamente corretas é que elas não pensam por si só. Apenas reproduzem o que é amplamente falado pela mídia como sendo ético.

Essa pessoa que me chamou de racista, por exemplo. Poxa, racista é ela que relaciona escravidão com pessoas da raça negra. Se ela soubesse um pouquinho de história, certamente, levaria em conta que se teve muitos escravos brancos e amarelos. Como no Egito, em Roma, na Grécia, na China, países que escravizavam os perdedores de guerra, independentemente, da cor. Rá!

Falando sério, tenho medo de pessoas muito certinhas ou muito religiosas. Acredite: os maiores bafões que ouvi na minha vida eram de pessoas assim.

Uma pessoa que tem um discurso muito politicamente correto só pode estar reprimindo algo muito feio que ela faz entre quatro paredes.

Desculpe, mas não existe ninguém bonzinho nesse mundo.

Há muito tempo atrás, na minha pré-adolescência, conheci uma guria toda meiguinha, toda cheia de nhe-nhe-nhém. Ouvindo ela falar, só não era mais santa porque precisava canonizar...Meus pais adoravam ela e viviam me dizendo que eu tinha que ser mais parecida com essa mocinha tããããoooo educada.

Só que fui descobrir mais tarde que essa santinha do pau oco, aos 13 anos, já tinha se relacionado sexualmente em todos os sentidos com vários caras, inclusive com o namorado de uma amiga minha e dois anos mais tarde, com o meu namorado. Eu, com 13 anos, nem tinha beijado na boca ainda.

Mas quem era a esquizitona? Euzinha aqui. Daí por diante, fiquei vacinada contra esse tipo de gente.

Por isso adoro gente esquisita e bizarra, me sinto confortável com elas. Afinidade? Com certeza! Na verdade, bizarro mesmo é quem é politicamente correto, afinal, tudo é sempre uma questão de ponto de vista. ;)

E para você que é todo certinho, dedico uma música:

Eu não gosto de ninguém – Matanza

Não me faça nenhum favor
Não espere nada de mim
Não me fale seja o que for
Sinto muito que seja assim

Como se fizesse diferença
O que você acha ruim
Como se eu tivesse prometido
Alguma coisa pra você
Eu nunca disse que faria o que é direito
Não se conserta o que já nasce com defeito
Não tem jeito
Não há nada a se fazer

Mesmo que eu pudesse controlar a minha raiva
Mesmo que eu quisesse conviver com a minha dor
Nada sairia do lugar que já estava
Não seria nada diferente do que sou

Não quero que me veja
Não quero que me chame
Não quero que me diga
Não quero que reclame
Eu espero que você entenda bem
Eu não gosto de ninguém

4 Response to "Eu quero que o politicamente correto se exploda, grata."

  1. Ei,eu sou bonzinho...
    E o telefone dessa sua amiga perva aí?Tem?

    Filipe says:

    Muito bom este post...

    A sociedade te impõe a ser de um jeito e seguir uma linha, mas por baixo dos panos faz coisa muito pior.

    O famoso "faça o que digo e não faz o que eu faço", sempre esteve tão presente.

    Renata says:

    eu sou boozinha...nem fala assim :(

    Hehehehe, e quem não quer que tudo se exploda? Qdo eu estiver mais inspirada vou fazer um artigo de um filme o "Filhos da Esperança". Em um momento do filme, que foi gravado em 2005, ouvi um trecho que dizia: Ele morreu depois a PANDEMIA da GRIPE de 2008.... ?????????????? Como assim? Em 2005, Hollywood já preveu que teríamos uma PANDEMIA? É tanta sujeira nisso tudo que me dá náuseas. Coloquei sei blog como indicação no meu. Gostei do que li! Parabéns! Sucesso!

Postar um comentário

Powered by Blogger