Gostou?

Share |

Eu não vou na Marcha contra a Corrupção. E você que é feio?


Não, eu não vou na Marcha contra a Corrupção em Criciúma agora no dia 15.

Não que eu vá fazer outra coisa importante, mas não vou gastar meu feriadão indo “desfilar em plena avenida" por uma causa. Não faria isso por causa nenhuma, muito menos por uma causa nobre como a “corrupção”.

Entenda. Não que eu não ache que devemos lutar contra a corrupção. Simplesmente, acho que devemos lutar com as armas certas.

Sair por aí e expressar que sou contra a corrupção não vai deixar o mundo melhor ou pior.

Se quiser, pode me chamar de integrante da geração-bundão. Não era nascida na ditadura para lutar pela liberdade de expressão, e, era criança no movimento pelas Diretas Já ou os Caras Pintadas.

Cresci a base de Toddynho e chocolates Nestlé. Não lia Dotoiévisk, mas não perdia um episódio de Ursinhos Carinhosos. Minha única preocupação era ficar acordada até tarde para poder assistir ao Arquivo X e sonhar com o Fox Mulder.

Não tenho base teórica suficiente para justificar essa minha decisão. A verdade é que minha liberdade de expressão nunca foi tolhida, e nunca dei muita bola para ela.

Ok. Você está achando que sou escrota (e talvez seja mesmo), mas se você nasceu na década de 80 e cresceu na década de noventa passou pela mesma coisa que eu. No máximo, você pode ter participado de algum movimento estudantil e que você, hoje, apenas, se lembra das festas e dos amigos que fez por lá né, seu fanfarrão? Hehe, normal.

Como estava dizendo, cresci sendo ouvida e podendo me expressar livremente. E melhor que expressar a minha liberdade e meus princípios com cartazes e desfiles, é demonstrar isso com atitudes do dia-a-dia.

Ser contra a corrupção começa com o seu exemplo. De dar o troco certo na rua, de não pedir a alguém para assinar a chamada da aula por você, de não plagiar um artigo acadêmico da internet, de não comprar cd de play3 pirata, de não jogar lixo no chão, de não jogar fora seu voto.

Você vai na Marca contra a Corrupção. Certo. Mas quantas vezes você foi na câmara municipal para ver que tipo de projetos de leis estão sendo aprovados em nossa cidade?

Se você é Criciumense, certamente, deve ter opinado sobre colocar o tal do petit pavê ou não. Mas você já parou para conferir a qualidade da merenda escolar das escolas municipais da nossa terrinha?

Se você é Criciumense, certamente, já caminhou no lindo “Parque das Nações”. Mas você sabe quanto tempo se leva para consultar um médico especialista pelo SUS nessa cidade?

Você, muito provavelmente, não sabe responder a essas minhas perguntas. Relaxe. Eu, também, não. Coisas da geração-bundão.

4 Response to "Eu não vou na Marcha contra a Corrupção. E você que é feio?"

  1. Que atire a primeira pedra quem nunca corrompeu ou se corrompeu na vida. Quer um mundo melhor? Comece por você! Afinal, de onde é que saem nossos representantes públicos?

    Acho que o resto tu já disse, Pri!

    M.S. says:

    Resumindo, você espera que outros façam e depois você desfrute do resultado. Por isso que é utopia achar que isso um dia vai mudar, já que a mudança depende da maioria e a maioria não quer saber de nada. Também acho que tão pouco importa se você já foi corrupto um dia, comprando um dvd pirata no camelo, ou quantas vezes já se viu envolvido nesse processo de acabar com o corrupto, o importante é que TENHA GENTE SUFICIENTE para defender a causa. Mas em uma coisa eu tenho que concordar com você: usamos as armas erradas. Eu não participo mais de protestos como esses não. O ultima marcha que teve, no ultimo feriado, demonstrou o porquê esses protestos não tem efeito. Na reportagem da Epoca sobre a marcha, varias notas de políticos que riram e deixaram claro que isso não muda nada. Enfim, chegamos ao ponto que dependemos de um maluco (ou malucos) que acabe com essa escoria de uma vez por todas. Se você protesta, eles riem, se você vota, tem que escolher entre um corrupto e outro, se faz um projeto de lei com 5 milhões de assinaturas eles dão um jeito de burlar e acabar com ele, qual é a solução então? Todos sabem mas continuam com demagogias.

    Anônimo says:

    Sei lá, prefiro pensar que posso deixar de ser um bundão e que a marcha começou com um pequeno manifesto e hoje esta em várias cidades do Brasil e como tal ela pode, com a ajuda de nãos bundões, chegar num nível que os politicos passem a dar importância. Parado é que não vou ficar.

    Anônimo says:

    Vamos pegar em armas? hahahaha

    Mi

Postar um comentário

Powered by Blogger